logo

Pan

  • Autor
  • Coleção
  • ISBN 9789896231408
  • PVP 18.79 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição outubro 2010
  • Edição atual 1
  • Páginas 184
  • Dimensões 150 X 225 mm
  • Disponibilidade
    Disponível
  • Comprar

Pan é, desde a sua publicação, um dos livros mais apreciados e amados de Knut Hamsun. Uma obra-prima da literatura, onde «a natureza fala na língua subtil e sonhadora de um breve e idílico Verão nórdico».

Através dos papéis encontrados depois da sua morte, o tenente Glahn relata-nos a sua trágica paixão pela jovem Edwarda, num crescendo de exaltação que invade e se confunde com a paisagem envolvente, tor­nando-se difícil distinguir entre natureza e psique.

Prémio Nobel de Literatura 

Knut Hamsun (1859‒1952) nasceu em Gudbrandsdalen e cresceu na pobreza em Hamarøy, na Noruega. Publicou o seu muito aclamado romance Fome (1890), ao qual se seguiram Mistérios (1892), Pan (1894), Victoria (1898) e Frutos da Terra (1917) — obras-primas do início da modernidade na Literatura, o que lhe valeu a atribuição do prémio Nobel. 

Figura controversa, Hamsun conheceu tanto a glória literária quanto, no final da sua vida, o mais aceso repúdio dos seus contemporâneos, o qual se ficou a dever às simpatias do autor pelo regime nazi. Terminada a guerra, tais posições valeram-lhe o julgamento por traição. Acabaria os seus dias na mais completa pobreza.

 

Livros publicados


Fome

    Os delírios solitários e reflexões de um jovem escritor. Um romance marcante, considerado o início da grande literatura do século xx.

    Mistérios

      Um livro que impressionou os seus contemporâneos pela radical (e polémica) visão do mundo que destila das suas páginas, cuja leitura provoca ainda hoje o mesmo forte impacto no leitor.

      Victoria

        Victoria, livro de rara beleza narrativa, é uma das obras mais representativas de Knut Hamsun.

        Os Frutos da Terra

          Grande épico da vida rural, cujo imediato e enorme sucesso internacional foi em grande medida responsável pela atribuição, três anos depois da sua publicação, do prémio Nobel ao autor.